Skip navigation

Arquivos da Categoria: música

A Plebe Rude é uma das minhas bandas preferidas do Rock Nacional. Letras politizadas e revolta social sempre foi o foco da banda, a qual nunca teve boas relações com gravadoras e com os meios de comunicação. Por isso, acabou sendo pouco conhecida pelo grande público.

“Vote em branco” foi composta em 1980, mas só foi registrada em disco no ano de 2006. A execução da música num show em Patos de Minas no ano de 1981 levou os integrantes da Plebe Rude a serem presos. Um detalhe: na época, o povo ainda não tinha direito de votar nas eleições presidenciais.

Algumas razões me levam a votar nulo:

1. Descrença na democracia representativa: depois que elegemos os governantes, nosso poder de intervenção é quase nulo;

2. Falta de esperança no sistema político atual: campanhas custam milhões; depois de eleitos, os senadores e deputados vendem votos  em troca de cargos e verbas;

3. O candidato menos ruim não é bom e eu tenho o direito de dizer não.

Visite também o site da Plebe Rude, o flickr e o you tube da banda e o blog do baixista André X.

Aproveitei minhas férias na Bahia, para fazer uma oficina em Vitória da Conquista, no ponto de cultura “Música para Todos”. Vitória da Conquista fica no sudoeste da Bahia, próximo de Brumado, a cidade em que nasci e morei até meus 18 anos.

A oficina foi uma das mais divertidas e produtivas que já fiz. Focamos em áudio e vídeo que são os principais interesses da galera do ponto (na verdade, mais em áudio do que em vídeo) e saímos de lá com três músicas e um clipe gravados.

As músicas são “Corda-bamba“, “Música” (sim, o nome dá música é “música”!) e, a que eu mais gostei, “Concerto Nordestino“.

A música “Corda-bamba” é composição do Maestro João Omar, o qual é filho de Elomar, um conhecido cantor e compositor popular da Bahia. O “Concerto Nordestino” foi improvisado pelo João Omar no violoncello e pelo Kessller no pandeiro. É uma mistura de violoncello com pandeiro, de erudito com repente, às vezes me lembra uns sons de rabeca de Pernambuco. Já “Música” é de Paulo Macedo e conta mais uma vez com João Omar no violoncello. E fizemos também um clipezinho dela.

Já estávamos há cinco dias no assentamento do MST no Quissamã, um povoado perto de Aracaju. No último dia, resolvemos ir num boteco do assentamento antes do almoço. Entre algumas partidas de sinuca, cervejas e refrigerantes, conhecemos o dono do bar, o Seu Paraíba. Ele falou que ficou sabendo que a gente tava trabalhando com áudio e vídeo e começou a cantar as músicas dele. Cantou mais de dez músicas. Daí surgiu a idéia de gravar as músicas dele. Convidamos ele a aparecer no local do assentamento onde tava acontecendo a oficina.

Esperamos até três horas da tarde, como ele não apareceu, resolvemos colocar o computador em um carrinho de mão e ir até o bar dele para gravar as músicas. Também filmamos o Seu Paraíba cantando e a surpresa dele ao ouvir o cd com suas músicas pela primeira vez.

O vídeo foi produzido em outubro de 2006. Eu fiz a câmera e as entrevistas e a edição foi feita por várias pessoas durante o festival submidialogia #2, em Olinda/PE.

gif seo paraiba

Download – 50 MB – Formato OGG

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.