Skip navigation

Arquivo da tag: alagoas

Este post eu já devia ter feito há muito tempo, mas foi mais um dos posts que ficaram perdidos na minha cabeça… Hoje, mechendo na minha pasta de fotos, achei essas da Foz do Rio São Francisco e resolvi publicar aqui.  Estas fotos foram da minha segunda visita à foz, em dezembro de 2007.

encontro do São Francisco com o mar

rio + atlântico

A primeira vez que eu fui até lá foi no final de 2006, aproveitei minha ída à Piaçabuçu, cidade alagoana mais próxima da foz do São Francisco. Lá em Piaçabuçu, vários barcos fazem o passeio até a foz, que fica há uns 15 km da cidade.

é so navegar...

é so navegar...

A foto acima é do povoado Saramen, em Brejo Grande/SE, daí saem os barcos sergipanos que vão até a foz. Próximo ao mar, o São Francisco se divide em vários canais e forma inúmeras ilhas.

pôr-do-sol

pôr-do-sol

Esse é o local onde os barcos ficam ancorados na foz… Fiz a foto do alto de uma duna: o sol tava se pondo de um lado e a lua cheia aparecendo no outro… no meio de tudo, a imensidão do rio e do mar. Eu acho que não conseguir fazer as fotos da lua porque as pilhas da câmera acabaram…

Na foto abaixo, está o antigo farol (canto superior-esquerdo), também chamado de Cabeço. Com a diminuição da vazão do rio, o mar avançou sobre o farol.

imenso mar

o mar é maior que tudo

Como Chegar:

A partir de Aracaju – Pegue um ônibus na rodoviária de Aracaju para Neópolis. Lá você atravessa o Rio São Francisco de balsa para a cidade de Penedo (Alagoas), uma cidade histórica com uma arquitetura muito bonita. Em Penedo, é só pegar uma van até Piaçabuçu. O gasto com transportes fica em torno de R$15. Se preferir, algumas empresas de turismo oferecem o pacote de viagem até a foz, que custa em média R$ 75.

A partir de Maceió – As agências de turismo de Maceió também oferecem o passeio ou você pode pegar uma van ou ônibus direto pra Piaçabuçu.

Está no ar desde o início de junho a página do ponto de cultura Olha o Chico. A página foi criada dentro do Estúdio Livre e foi pensada para ser um meio de divulgação do conteúdo produzido pelo ponto, já que não basta produzir e deixar solto pela internet, é preciso divulgar!

O endereço da página é http://estudiolivre.org/olhaochico e lá estão disponíveis a descrição das atividades realizadas pela Olha o Chico e as músicas já gravadas pelo ponto. Destaco a música “Cais do Rio“, composta pela Mira Dantas, que foi quem cuidou da diagramação da página e também tem um bela voz.

O processo

Lá começamos a trabalhar em três frentes: áudio, vídeo e páginas wiki. Duas pessoas ficaram capturando umas músicas que estavam gravadas no MD e publicando no acervo do Estúdio Livre. Outras duas se dedicaram a editar umas fitas de vídeo no Cinelerra. E a Mira Dantas ficou editando a página do ponto no Estúdio Livre.

Ela nunca havia diagramado páginas para web antes, mas foi pegando rápido os macetes do wiki e alguns comandos html. O auge do aprendizado foi a criação de uma tabela. A Mira perguntou se era possível fazer uma tabela no wiki, eu respondi que dava pra fazer, mas que não ficava muito boa e fiz uma tabela usando os comandos do wiki. A tabela não agradou, então ela perguntou se tinha como fazer com html. Eu disse que dava pra fazer, mas que era muito trabalhoso e seria melhor colocar as informações como texto plano mesmo. Então ela insistiu e eu mostrei como montar uma tabela com comandos html. Em minutos, ela montou uma tabela enorme com um emaranhado de códigos html misturados com códigos wiki!

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.