Skip navigation

Category Archives: vídeo

Estive em Arraial d’Ajuda neste fim de semana. Há mais de um ano planejo uma visita ao esporo de MetaReciclagem Bailux para dar uma oficina e conhecer Arraial d’Ajuda. Depois de uma noite de viagem, chego às 7h30 da manhã em Porto Seguro. Na rodoviária, peguei um coletivo e desci perto da Balsa. Do outro lado, peguei mais um coletivo até Arraial. Gostei do fato de a balsa e os ônibus para Arraial d’Ajuda funcionarem 24h por dia. O transporte coletivo de Porto Seguro, apesar de caro, me passou a impressão de ser ágil.

Desci na praça da Igreja e encontrei o Régis, grande articulador do Bailux. Ele me levou até a Pousada Flamboyant, na rua Mucugê, apelidada de “A rua mais charmosa do Brasil”. E a rua realmente merece: bem arborizada, com restaurantes e lojinhas com fachadas muito bonitas. O dono da pousada é amigo do Régis e ofereceu a hospedagem pra eu poder ir até lá compartilhar conhecimento com o Bailux.

Travessia de balsa em Porto seguro

Travessia de balsa em Porto seguro

Depois de um banho e de tomar café da manhã. Desci com o Régis e seu cachorro Sherlock para a praia. No caminho, fui apresentado a alguns pontos turísticos e conheci um pouco da história de Arraial. Também conversamos bastante sobre a sustentabilidade do Bailux e estratégias que podem potencializar a ação do grupo.

À tarde, iniciamos a oficina. Não tive tempo de organizar nada antes, mas tudo fluiu maravilhosamente bem. A ideia da oficina era fornecer o conhecimento básico para que o Bailux possa produzir pequenos vídeos em baixa resolução, filmados a partir de câmeras fotográficas digitais. Começamos falando de captação de imagens, depois cada um gravou um depoimento relatando como chegou ao Bailux e sua visão em relação ao grupo. Nesta tarde, ainda vimos um pouco de Cinelerra, software de edição de vídeo.

minha segunda casa

minha segunda casa

Já à noite, fui em Porto Seguro encontrar com Neidinha, amiga que conheci recentemente em Cachoeira. Ela me apresentou a parte mais movimentada da cidade, com muitos restaurantes dos mais variados tipos, bares com música ao vivo e lojas de artesanato. O turismo em Porto Seguro é muito agressivo. Tudo na cidade praticamente só gira em torno disso.

No outro dia, acordei cedo e fui à praia. No final da manhã, conheci a loja onde o Régis, há 18 anos, vende seus produtos. Continuamos a oficina à tarde, a metodologia foi mostrar alguns recursos do programa e, imediatamente todos irem praticando. À noite dei uma volta pela cidade, fiz umas fotos e fui encontrar Régis e Rafael para fazermos um intensivão de Cinelerra.

Rua Mucugê

Rua Mucugê

No domingo, não teve praia: céu todo nublado. Começamos a oficina de manhã e estendemos até perto de 15h. Ao longo do dia, discutimos um pouco a questão da sustentabilidade do projeto (como conseguir recursos para o projeto sem criar hierarquias e burocratizar as relações?) e finalizamos a edição do vídeo (link pra assistir) com os depoimentos do grupo. O Cinelerra instalado no notebook do Régis apresentou alguns bugs ao renderizar, mas mesmo assim conseguimos finalizar o vídeo.

Mais tarde, conheci o litoral norte de Porto Seguro, até a praia de Coroa Vermelha, uma região onde ainda vivem muitos índios. Próximo à cruz de aço colocada pra simbolizar o local da primeira missa em solo brasileiro, muitos dos indíos vendem artesanato. Algumas crianças indígenas pediam dinheiro pra olhar os carros. Triste ver a situação dos indígenas na região…

Espaço do Bailux

Espaço do Bailux

Numa próxima oportunidade, faremos uma oficina de técnicas de animação no Bailux. Gostei muito de Porto Seguro e Arraial d’Ajuda, toda a galera do Bailux foi muito receptiva e gentil. Espero voltar lá mais vezes!

Vista do mar, na praça da igreja

Vista do mar, na praça da igreja

Rua mucugê à noite

Rua mucugê à noite

A turma do bailux

A turma do bailux

Uma agradável surpresa chegou ao meu e-mail ontem: meu vídeo “Um tango pra derrubar o poder” está na lista dos vídeos premiados do Guia Kinoforum 2009, na categoria experimental. Não sei bem como funciona este guia, mas imagino que seja uma compilação de todos os filmes e vídeos premiados nos festivais de cinema e vídeo brasileiros. É bom ver o vídeo ainda repercutindo por aí…

Meu vídeo ‘Um tango pra Derrubar o Poder‘ será exibido no próximo sábado, dia 17, no programa Olhaí, na Aperipê TV, a televisão pública de Sergipe. O programa começa às 15h30.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis.

Já deveria ter publicado aqui há meses… Esse é o U-507, documentário em que eu trabalhei lá em Aracaju no primeiro semestre deste ano. O U-507 trata do afundamento de quatro navios brasileiros na costa de Aracaju pelo submarino alemão U-507 durante a segunda guerra mundial.

Minha participação no documentário foi na direção e edição do making of. O documentário também está disponível para download no formato XviD (126 MB).

O site oficial é o http://u507.wordpress.com

Creative Commons License
O documentário U-507 está licenciado sob a Creative Commons Attribution-Noncommercial-Share Alike 2.5 Brazil License.

A Plebe Rude é uma das minhas bandas preferidas do Rock Nacional. Letras politizadas e revolta social sempre foi o foco da banda, a qual nunca teve boas relações com gravadoras e com os meios de comunicação. Por isso, acabou sendo pouco conhecida pelo grande público.

“Vote em branco” foi composta em 1980, mas só foi registrada em disco no ano de 2006. A execução da música num show em Patos de Minas no ano de 1981 levou os integrantes da Plebe Rude a serem presos. Um detalhe: na época, o povo ainda não tinha direito de votar nas eleições presidenciais.

Algumas razões me levam a votar nulo:

1. Descrença na democracia representativa: depois que elegemos os governantes, nosso poder de intervenção é quase nulo;

2. Falta de esperança no sistema político atual: campanhas custam milhões; depois de eleitos, os senadores e deputados vendem votos  em troca de cargos e verbas;

3. O candidato menos ruim não é bom e eu tenho o direito de dizer não.

Visite também o site da Plebe Rude, o flickr e o you tube da banda e o blog do baixista André X.